sábado, 1 de outubro de 2011


“…Era uma vez um pássaro. Adornado com um par de asas perfeitas e plumas reluzentes, coloridas e maravilhosas. Enfim, um animal feito para voar livre e solto do céu, alegrar quem o observasse.
Um dia, uma mulher viu esse pássaro e se apaixonou por ele. Ficou olhando o seu vôo com a boca aberta de espanto, o coração batendo mais rápido, os olhos brilhando de emoção.
Convidou-o para voar com ela, e os dois viajaram pelo céu em completa harmonia. Ela admirava, venerava, celebrava o pássaro.

Mas então pensou: talvez ele queira conhecer algumas montanhas distantes! E a mulher sentiu medo.
Medo de nunca mais sentir aquilo com outro pássaro. E sentiu inveja, inveja da capacidade de voar do pássaro.
E sentiu-se sozinha.

E pensou: “Vou montar uma armadilha. A próxima vez que o pássaro surgir, ele não mais partirá.”
O pássaro, que também estava apaixonado, voltou no dia seguinte, caiu na armadilha, e foi preso na gaiola.
Todos os dias ela olhava o pássaro. Ali estava o objeto de sua paixão, e ela mostrava pra suas amigas, que comentavam:”Mas você é uma pessoa que tem tudo.”
Entretanto, uma estranha transformação começou a processar-se: Como tinha o pássaro, e já não precisava conquistá-lo, foi perdendo o interesse.
O pássaro, sem poder voar exprimir o sentido de sua vida, foi definhando, perdendo o brilho, ficou feio – e a mulher já não prestava mais atenção nele, apenas na maneira como o alimentava e como cuidava de sua gaiola.

Um belo dia, o pássaro morreu. Ela ficou profundamente triste, e vivia pensando nele. Mas não se lembrava da gaiola, recordava apenas o dia em que o vira pela primeira vez, voando contente entre as nuvens.
Se ela observasse a si mesma, descobriria que aquilo que a emocionava tanto no pássaro era sua liberdade, a energia das asas em movimento, não o seu corpo físico.
Sem o pássaro, sua vida também perdeu o sentido.

Oxalá tivesse entendido: o amor só dura em liberdade. Mas agora era tarde demais.
11 Minutos - Paulo Coelho

domingo, 17 de julho de 2011

acredito que existe um lugar para mim, assim como existe lugar para todo mundo. porque existe lugar para todo mundo. é só procurar… eu acredito. acredito no tempo. o tempo é nosso amigo, nosso aliado, não o inimigo que traz as rugas e a morte. o tempo é que mostra o que realmente valeu a pena, o tempo nos ensina a esperar, o tempo apaga o efêmero e acaba com a dúvida.  CFA

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Mudanças sempre - Kê Azambuja

É incrível como as coisas mudam! Muitas vezes me apavoro ao notar que as coisas estão diferente, ai tu pisca, olha para o lado e tudo mudou novamente!
Isso tudo é involuntário, não depende da nossa vontade... o mundo vai girando e as coisas mudando.
Seria ótimo se em algumas situações a gente pudesse simplesmente gritar e pedir o mundo que as coisas permaneçam daquela forma. Que os momentos bons sempre estivessem presentes no nosso dia-a-dia, e na correria que a gente vive pudéssemos parar e curtir novamente essas coisas boas.
Nunca vi as mudanças de forma ruim! muito pelo contrario, sempre fui uma apaixonada por Mudanças, seja emocional, de vida, na casa, no trabalho, no visual.
eu tenho uma tia, que é simplesmente fascinada por mudanças, cada vez q íamos visitar ela (o que acontecia, quase 1 vez por semana) as coisas dentro de casa estavam completamente diferentes, a sala no quarto, o quarto na cozinha, armários, mesa, sofá, roupeiro, tudo sempre mudava de lugar, muitas vezes indo parar em lugares estranhos, como uma vez em que a cama ficou embaixo da torneira da cozinha. (sim, isso tudo é verídico).
A situação dela era favorável, meu tio era pedreiro/marceneiros então ela pedia para ele e as coisas mudavam completamente. Até que um certo dia ele  cansou e resolveu fazer os armários e a mesa da cozinha de tijolo e cimento para que ela nunca mais pudesse mudar!
A tia Ruth sempre foi minha inspiração, basta uma mudança e eu já me lembro dela. E talvez ela seja portadora de uns dos grandes princípios que a gente deveria usar na vida, de mudar cada vez que as coisas não estão indo bem, se você não está feliz com uma situação, mude! Mude seus pensamentos, suas atitudes, saiba transformar cada experiência vivida em um aprendizado, movendo seus sentimentos para que as coisas lhe favoreçam.
Costumo fazer isso sempre que preciso, e digo mais, não mudo só as coisas dentro de mim, mudo o meu quarto, algumas coisas dentro de casa, e sempre que isso acontece as energias se renovam, e tudo parece fluir com mais facilidade.
Não deixe que ninguém te transforme em cimento e tijolos, para que você não possa crescer, aprender, mudar, evolui (pois sempre existirão pessoas que tentarão fazer isso com você) mude, seja livre para ser o que você quiser, consciente dos seus atos e de todas as coisas boas que você quiser para a sua vida.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Cada um tem aquilo que procura! - Kê Azambuja




*Fazem dias que não escrevo, não por falta de inspiração, mas por uma serie de outros motivos, correria do dia-a-dia, trabalho, família, feriado! Mesmo assim minha necessidade de escrever aqui não pára nunca!*


*Queria muitas vezes que meu cérebro tivesse algum tipo de conexão com o computador e fosse digitando as coisas conforme eu fosse pensando, acredito eu que isso me pouparia muito tempo e haveriam post aqui todos os dias.*


*Eu ando preocupada, com uma certa angustia no meu peito! é uma preocupação de quem realmente se importa com a um amigo e está vendo ele tomar o rumo errado para a sua vida, sem poder fazer nada alem de alertar!*

*Não sou a rainha da verdade, nem to aqui pra dizer o que é certo ou errado! a única coisa que eu posso dizer é que a partir do momento em que uma pessoa entra na tua vida, ela tem que vir para acrescentar, e é isso que eu sempre procuro fazer. Tenho meu sexto sentido com a potencia elevada na décima casa, o que me faz ver as coisas de outra forma, poder analisar as situações e as pessoas. *

*Às vezes as pessoas ficam ao nosso lado somente por um tempo, ai tomam outro rumo! e é isso que tem acontecido! eu vejo essa pessoa tomando um  outro rumo, se afastando de mim aos poucos, e me eu realmente não sei que atitude tomar! Confesso que já me imaginei várias vezes dando uns tapas, uns
chacoalhões p ver se a pessoa se liga, abre os olhos e vê a porcaria que está fazendo da vida e começa a rever todos esses novos conceitos q passou a ser o direcionador das atitudes dela.*

*Me irrito muitas vezes comigo mesma, por ter esse lado mãezona de querer ajudar todo mundo! dar conselhos, falar das minhas percepções, querer abrir os olhos! pra que as pessoas trilhem um caminho mais fácil, sem muitos obstáculos, sem sofrer por coisas que não levaram a lugar algum! Mas nem
sempre as pessoas estão dispostas a ouvir!*

*Tudo bem então, a vida é sua e você decide o que fazer com ela!!! eu tentei ajudar, tentei conversar, te dei minha mão  e disse que te ajudaria a passar por tudo! é você quem decide! Agora não venha reclamar na tua vida, a vida te dá oportunidades a toda hora! Se tua vida tá uma merda (com o perdão da palavra) é porque tu escolheu assim!*

*Agora se tu quer realmente que as coisas sejam diferente, que as coisas melhorem: levante a bunda da cadeira, coloque um sorriso na cara e vá a luta! existem pessoas que sempre estarão ao teu lado mesmo que tu não perceba isso! *

*Mas saiba que tudo na tua vida depende de ti, pois cada um tem aquilo que procura!*

quarta-feira, 22 de junho de 2011

SAUDADES DE MIM - CLARISSA CORREA

Dei um suspiro fundo. Um suspiro de verdade, vontade, saudade. Um suspiro imenso, profundo, intenso. Um suspiro que a gente só dá quando lembra de alguém que foi importante na nossa vida.
Você já deve ter tido um amor assim (por favor, diz que sim!). Aquele amor que te agita, vira do avesso, grita. Aquele amor que te deixa louca, viva, boba. Aquele amor que faz você se sentir especial, nova, única. Aquele amor que faz você ver a vida de outra maneira.
A gente tem a mania de achar que não consegue ser feliz sozinha. E que precisa do outro para viver, respirar, crescer. Pequenas, ouvimos Cinderela, Rapunzel, Bela Adormecida. Crescidas, esperamos bilhetes, florzinhas, carinhos. Erradas, queremos uma pessoa perfeita. Acho que a perfeição está na nossa forma de olhar as coisas. E que realmente é bem melhor ser feliz acompanhada: existe algo mais gostoso que dividir uma felicidade?
Eu gostava tanto de você. Do seu jeito de falar manso. Da maneira como as palavras que saíam da sua boca dançavam alucinadas no meu ouvido. Da forma como as suas mãos sempre quentes tocavam o meu corpo. Do seu olhar que me arrepiava por dentro e por fora. E que fazia com que eu me sentisse a pessoa mais especial do universo inteirinho. Era isso: você fazia com que eu me sentisse diferente de todas as outras.
Uma mulher quer se sentir desejada todos os dias. Com letras ou ações. Com olhares ou manifestações. De qualquer jeito, a qualquer hora, em qualquer lugar. Você conseguia isso de todas as formas possíveis. E com você eu aprendi a me amar, me olhar, me proteger.
Fiz tudo que podia para ficar com você. Fui até onde meu coração deixou. Até onde suportei. Até onde consegui resistir. Mas não consegui. Qualquer tipo de sentimento, para viver e se fortalecer, precisa de cuidado e atenção. E eu não podia fazer por mim e por você. Por isso, desisti. Afoguei o quase amor que tinha por você e decidi seguir em frente.

Dei um suspiro fundo. Um suspiro de verdade, vontade, saudade. Um suspiro diferente, sem mágoa, coerente. Ai, que saudade daquela pessoa sem medo, que se entregava sem pensar em nada, que tinha a ingenuidade no coração e no olhar. Ai, que saudade de mim.

SOBRE CARTAS DE AMOR - CLARISSA CORREA

Dizem que quem fica apaixonado se transforma. Pisa nas nuvens, borboletinhas invadem o estômago, o coração fica com um sorriso de orelha a orelha, o mundo se torna um lugar mais bonito e todas as músicas parecem fazer algum sentido. Eu concordo.


Esses dias reli uma carta que mandei. Era uma carta extensa, que falava dos meus desejos e medos. É tão bom quando a gente se livra de qualquer tipo de armadura e resolve escutar somente o coração. A gente nasce livre, sem qualquer escudo e aos poucos, depois das cacetadas da vida, vamos ficando duros. Isso me entristece um pouco. Sei que faz parte, mas não deixo de ficar triste.


Percebo que as pessoas estão cada vez mais medrosas. Guardam o que sentem. Se escondem atrás de palavras, atitudes e sentimentos. Mostram uma outra pessoa, uma verdade inventada, uma pessoa inexistente. Pra quê? O objetivo não é ter relações verdadeiras? O grande barato da vida não é ter alguém pra dividir cada coisinha boa e chata?


Tolos, mostram uma coisa que não são e acabam perdendo muito por isso. Porque a gente não deve ter a menor vergonha de ser quem é. E nem ter medo de mostrar nossos sentimentos mais bonitos.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Saudades de um futuro bom! - Elenita

Eu tenho saudades do futuro... :) É meu jeito de dizer que tenho certeza que ainda vou viver coisas incríveis, apesar de essas que vivo agora já serem... tenho certeza que bem daqui a pouco vou começar a viver uma história bem legal, me apaixonar de novo, amar e ser amada de volta. Certeza de que vou dividir viagens e experiências surreais, de que vou sorrir e chorar junto, dividindo problema de todo dia. Certeza de que vou ser mãe... certeza de que vou amar esse bebê com todo meu coração, pq ele nem existe e eu já amo. Certeza de que vou construir uma família... com direito a casa com quintal e cachorro... :)
Então eu já vejo isso acontecendo... já sinto isso acontecendo. Mesmo que demore um pouquinho e seja só bem ali na frente. Então sinto saudades... assim :)

domingo, 19 de junho de 2011

Namorado Imaginário - ELENITA RODRIGUES

Meu namorado imaginário tem mais ou menos a mesma idade que eu, não fuma, gosta de filosofia (pode não entender nada, mas tem que achar lindo!rs), não tem história mal-resolvida com ninguém, gosta de cinema, domingo em casa, passeio no parque, e é absolutamente encantado pela beleza das coisas pequenas.... um cheiro, um beijo, um carinho, um jasmim. Sem motivos. A gente tem um cachorro (que pode morar na casa dele, já que meu apartamento é MUITO pequeno), planos compartilhados de visitar o Oriente, plantar flores num jardim e passar férias longas em um país estrangeiro. Desses bem esquisito. A gente se entende pelo olho, pele, saliva, coração. Nosso tesão começa é na alma. Só que explode.

Meu namorado imaginário tem o sorriso mais bonito do planeta terra. E quando sorri de cantinho (disfarçando pra eu não ver que ele não gostou do meu sapato cor de melancia), eu finjo que fico brava mas na verdade eu acho lindo. E ele me abraça de um jeito que me faz sentir mais perto de Deus. E a gente se encontra naquele intervalo entre as coisas que são ditas e as coisas que as palavras não alcançam... e se transubstancia... em galáxias, cores, cometas, estrelas, incandescências... tudo ao mesmo tempo.... (imanências).

Meu namorado imaginário, às vezes vai comprar pão quentinho de manhã bem cedo, mas às vezes fica na cama ronronando feito um gatinho, cheio de manha, até tarde enquanto pede mais um dengo emburrado. E a gente se embola num aconchego gostoso de quem esqueceu que segunda é dia de trabalho... e as histórias de domingo estampam sorrisos mudos que nos escorrem pelos olhos. E a gente chora sem lágrimas. E se sente meio como numa história de cinema. Francês.

Meu namorado imaginário apóia meus sonhos, mesmo que não concorde com eles. É um homem que admiro muito mais do que consigo expressar com palavras. Tem manias tão irritantes quanto lindas que nos rendem as mais inusitadas histórias. Como ter medo de escuro ou não lavar a camisa em dia de jogo contra o Palmeiras. Ele me ensina a ser uma pessoa melhor. E me entende quando eu não consigo. Porque ninguém consegue às vezes. Nem ele.

Com meu namorado imaginário cada dia é um mergulho. E eu não preciso ter medo, porque nosso desejo é enternecer nosso universo. De um jeito que a gente não entende, mas que vibra e de repente faz tudo parecer que tem sentido. E a gente entende, como naquele texto da Marla, que encontramos leveza nas emoções que nos transbordaram porque estávamos prontos.... e escrevemos um dicionário de palavras distraídas. Adentramos no corpo de um poema recente, ainda disforme e falamos de amor usando a metáfora mais inocente... E então agradecemos profundamente por esta outra pessoa inteira, que jamais será uma metade e que, para a soma, com todas as alternativas que teve, preferiu seguir ... "ti a mim, me a ti, e tanto"...

Quando? Onde? Quem? Eu não sei. Mas talvez, como numa metáfora de cinema, o mais importante seja mesmo a jornada e não a meta.... Um dia a gente se encontra e ele me reconhece. Tenho fé em Deus.



http://acasosafortunados.blogspot.com/2011/06/um-dos-meus-favoritos.html

sexta-feira, 17 de junho de 2011

O Grande segredo - Kê Azambuja

Vejo e converso com pessoas que transparecem o medo do amor, medo de se
envolver com o outro!



Quando nos apaixonamos por alguém construímos grandes sonhos em cima do
amor, de ter uma vida em comum, compartilhar os planos de projetos para o
futuro, mas na maioria das vezes e inevitável que aja uma certa discordância
entre as pessoas! E ai que esta o problema, lado a lado do perigo de querer
transformar a outra pessoa no coadjuvante da novela da sua vida!




Não que você seja a mocinha e ele o bandido, vice-versa, não existem
culpados ou inocentes no amor! simplesmente criamos uma projeção na nossa
cabeça como gostaríamos que a pessoa fosse, agisse, etc! Ela não estando dentro
desse padrão acaba sendo uma decepção, ai transformamos todos os atos da pessoa
como uma afronta aos nossos desejos e anseios!


O que precisamos entender e aprender (creio que eu já esteja com a lição
na ponta da língua) e que cada pessoa tem sua individualidade, seus sonhos,
seus planos e projetos para o futuro e devemos respeitar isso da mesma forma
que gostaríamos de ser respeitados. Sei que isso tudo parece meio clichê, mas
eu sei o quanto custa para a gente entender e aceitar que a outra pessoa vem
com toda a estrutura de vida dela!


Acho que o melhor que podemos fazer, ao invés de tentar mudar e criar
expectativas sobre as pessoas, é buscar uma maneira de acrescentar, ajudar,
transformar a vida da pessoa com a nossa presença. Nunca deixando a nossa
individualidade e é claro, da pessoa que está conosco também!!



Ai está o grande segredo dos relacionamentos: acrescentar o que de
melhor temos a vida das pessoas, nunca deixando de ser nos mesmos!

A alma do mundo - Chico Xavier




Quando você
conseguir superar graves problemas de relacionamentos, não se detenha na
lembrança dos momentos difíceis, mas na alegria de haver atravessado mais essa
prova em sua vida.


Quando sair de um
longo tratamento de saúde, não pense no sofrimento que foi necessário
enfrentar, mas na benção de Deus que permitiu a cura.


Leve na sua
memória, para o resto da vida, as coisas boas que surgiram nas dificuldades.


Elas serão uma
prova de sua capacidade, e lhe darão confiança diante de qualquer obstáculo.


Uns queriam um
emprego melhor;


outros, só um
emprego.


Uns queriam uma
refeição mais farta;


outros, só uma
refeição.


Uns queriam uma
vida mais amena;


outros, apenas
viver.


Uns queriam pais
mais esclarecidos;


outros, ter pais.


Uns queriam ter
olhos claros; outros, enxergar.


Uns queriam ter
voz bonita; outros, falar.


Uns queriam
silêncio; outros, ouvir.


Uns queriam sapato
novo; outros, ter pés.


Uns queriam um
carro; outros, andar.


Uns queriam o
supérfluo;


outros, apenas o
necessário.


Há dois tipos de
sabedoria:


a inferior e a
superior.


A sabedoria
inferior é dada pelo quanto uma pessoa sabe e a superior é dada pelo quanto ela
tem consciência de que não sabe.


Tenha a sabedoria
superior. Seja um eterno aprendiz na escola da vida.


A sabedoria
superior tolera, a inferior julga;


a superior alivia,
a inferior culpa;


a superior perdoa,
a inferior condena.


Tem coisas que o
coração só fala para quem sabe escutar!

 

A incrivel arte de seguir em frente - Clarissa Correa




















Em outras palavras: na hora do aperto a gente apela para a autoajuda, birita,
ombro dos amigos, livros bestas e músicas cafonas.)











Por algum motivo as coisas
não deram certo. Sua vida seguiu por um caminho e a dele dobrou duas quadras
mais para a frente. Você fica se perguntando o que aconteceu, o que deu errado,
por que vai ter que enfiar todos os planos dentro da nécessaire, fechar e ficar
um tempão sem abrir novamente.



A gente passa por diversas
fases. Sentimos raiva, sentimos dor, sentimos revolta, sentimos desprezo,
sentimos saudade, sentimos amor, sentimos medo de nunca mais esquecer, sentimos
medo de gostar de novo, sentimos vergonha e receio em repetir os mesmos erros
bobos.



Demorei muito para acreditar
na mais louca e cruel verdade: quem gosta de você vai te tratar bem. Quem gosta
de você se importa, quer o melhor, te procura, te liga, te dá satisfação. Quem
gosta quer estar junto. Quem gosta demonstra. Quem gosta faz planos. Quem gosta
apresenta para a família e amigos. Quem gosta manda uma mensagem bobinha só pra
dizer que ama. Quem gosta carrega uma foto sua dentro da carteira pra ver quando
dá saudade. Quem gosta abraça na hora de dormir. Quem gosta dá um beijo de boa
noite e de bom dia. Quem gosta aguenta suas reclamações, sua cólica infernal,
suas manhas e manias.



Me desculpa, mas não existe
medo que seja maior que um sentimento. Não existe timidez que seja mais forte
que uma declaração de amor. Não existe distância que deixe uma relação morrer se
as duas pessoas querem ficar coladinhas. Não existe
estou-dividido-entre-ela-e-você. Quem gosta pode se perder, mas sempre vai saber
pra onde quer voltar.



A gente demora pra aceitar,
arruma novecentas desculpas para a falta de jeito do outro. Ah, ele é confuso.
Ah, ele está tenso. Ah, ele tem medo. Ah, ele é maluco. Ah, ele isso. Ah, ele
aquilo. Desculpa, mas quem quer estar junto pensa ah, que saudade. Ah, que falta
ela me faz. Quem gosta, gosta. Sem complicações. Sem armações e armaduras.



Infelizmente, antes de
seguir em frente tentamos interpretar as ações e atitudes da pessoa indecisa.
Ele respondeu assim por tal motivo. Ele falou isso querendo dizer tal coisa. Ele
isso, mas tenho certeza que ele aquilo. Quem gosta dá certeza do que sente. Quem
gosta te olha com sinceridade. Quem gosta não faz joguinho nem te deixa pela
metade. Quem gosta quer te deixar segura.



Por bem ou por mal,
precisamos abandonar um sentimento que não traz nada de bom. Simples assim.
Basta você se perguntar: é essa a vida que quero para mim? Eu mereço ser feliz?
Eu mereço alguém que me ame? Eu mereço alguém que se importe? Eu mereço quem
tenha certeza que me quer? Eu mereço ser amada?



O momento em que você
percebe que o outro não te quer é mágico. A gente acorda, se sente nova, se
sente livre. É claro que não se afoga um sentimento do dia para a noite. Mas a
gente tenta preencher aqueles espaços com coisas novas: músicas diferentes, bons
livros, trabalho, amigos, decoração da casa, um animal de estimação. Tudo serve
para animar, renovar, encher a casa, a vida e preencher o tempo, costurar e
remendar nossas feridas. É claro que vai doer, é claro que você vai sentir, é
claro que o sentimento ainda vai latejar por um tempo. Mas a gente supera a
partir do momento em que decide o que merece.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

SANTO ANTÔNIO

Hoje é dia de Santo Antônio! Santo casamenteiro!
 Não fiz esse post somente por ser o dia deste santo cuja tem a  missão de arrumar um belo casamento p mim um dia! mas fiz sim porque sou sua devota dele desde criancinha.
Lá na cidade onde eu nasci, existe a Festa de Santo Antonio, que mobiliza toda a população católica da cidade. Me lembro bem dos domingos de festança e união da comunidade para organizar a festa e confesso que sinto saudades.
Cresci com essa devoção,  minha mãe e minhas avós sempre rezando, fazendo novena, recorrendo a esse santo. Aliás, o nome do meu falecido avó era Antônio, motivos pelos quais sempre me fizeram acreditar ainda mais, que seria protegida por esses  "Antônios".
Este ano não irei fazer minhas simpatias! Sim, eu fazia simpatias sempre, todos os  anos! Excepcionalmente  não farei... E não estou namorando! Meu motivo é simples, eu tenho FÉ!!!
Tenho fé todos os dias! Sem hesitar um minuto sequer, que coisas boas estão espalhadas no nosso caminho, no meu caminho. Muitas vezes a gente fecha os olhos para as coisas, as pessoas, para a vida e todo o que esta a nossa volta, e fica concentrado somente nos problemas, as preocupações, angustias e nessas horas nos agarramos com unhas e dentes as nossas orações, aos santos, a Deus! Cada oração  serve como um colírio perante aos nossos olhos, clareando a nossa visão para a vida e tudo de bom que ela tem a nos oferecer, esse é o verdadeiro milagre que a fé opera em nós, limpar a nossa alma e fortalecer os nossos desejos e a  vontade de viver!
Então,

Não farei mais simpatias,  porque esse meu querido Santo me ajuda todos os dias! Estamos juntos na mesma caminhada e eu sei que ele sempre tem o melhor reservado para mim!
Agradeço a ele por todas as bênçãos e peço sua proteção!

Amém!

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Nunca gostei das coisas iguais.

Deve ser por isso que sou tão diferente das outras pessoas. Ou pelo menos me sinto assim.

Não sou um tipo de pessoa que segue os padrões impostos por essa nossa sociedade, nem tão pouco sou uma alucinada que vive contra tudo e contra todos. Só tenho o meu jeito, e os meus princípios, meus   conceitos.



Já vivi um pocado, para ter uma noção e poder avaliar as coisas e as pessoas. E vou dizer que mesmo tendo uma certa experiência, as coisas não tem sido fáceis nos últimos meses. Creio que esteja passando por uma espécie de conflito interno, ou algo parecido ou talvez esteja novamente reencontrando a minha essência!



Sou uma pessoa completamente sensível, sou capaz de chorar em segundos e estampar um sorriso logo depois, sou movida pelos meus sentimentos, porém criei uma barreira na minha vida para não me machucar, não
me expor... cheguei quase ao absurdo de não querer sentir! Tentei me
transformar em algo completamente diferente do que eu sou, somente para não sofrer. E foi ai que eu errei.



A gente imagina que deixando de sentir as coisas vamos poder viver sem que ninguém nos machuque, como se fossemos nos transformar em robôs,
cuja a única finalidade seria continuar vivendo, se relacionado com as pessoas, porem não sentindo absolutamente nada por ninguém! Ai eu me pergunto, onde está a graça nisso tudo, em sermos robôs, comandados por um cérebro racional sem ver todo de belo que a vida tem a nos oferecer.

Sem graça, sem sentido! De que adiantaria então estarmos vivos, se não for pra sentir tudo de melhor que a vida pode nos oferecer?!

Talvez todo esse meu conflito, esse reencontro com a minha essência seja exatamente essa percepção, de que somente o amor pode me mover! O amor pela vida, pela família, pelos amigos, e quem sabe por alguém que esteja por ai, sabe se lá aonde, mas pronto para receber esse amor!

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Começando de novo!

Não sei direito o que
esperar do futuro. Talvez seja melhor nem esperar nada, não é mesmo? Dizem que o
bom é a gente viver um dia de cada vez sem pensar no depois, no que virá, na
continuação, na parte dois, três, quatro, cinco, seis...



Eu, ansiosa de nascença e
carimbo na testa, quero tudo para ontem, para já. Assisto um filme pensando no
final, começo um livro querendo saber qual é o desfecho. Antes, sempre lia as
últimas páginas dos livros, só para dar aquela espiada e saber o fim. Quando era
pequena, esperava todo mundo dormir e abria cuidadosamente os presentes de
Natal, não me aguentava até o dia 25 de dezembro.



Eu me trato, meu psiquiatra
é ótimo e diz que tá tudo bem, que é normal, que sou mulher (isso explica muita
coisa, certo?), que eu preciso ficar calma e serena. Mas como ficar calma? Não
aprendi isso ainda (e será que um dia consigo?). Sou pontual, naturalmente
tensa, nunca consigo relaxar completamente, por isso muitas vezes sinto minhas
costas doloridas. Vivo sem tranquilidade, alguma coisa sempre me preocupa, deve
ser por isso que o sono muitas vezes não bate na porta da fronha do meu
travesseiro.



Preciso aprender a ser mais
egoísta, mais eu, pensar mais em mim. O egoísmo não é ruim, não. Ele, bem
dosado, é saudável e faz bem. Preciso aprender a ser mais individualista, só
para não me frustrar tanto. Vivo de uma forma intensa e que muitas vezes me dói.
Não posso cobrar essa intensidade toda de quem me rodeia. Penso em mim por
último, coloco as prioridades do outro na minha frente.



Não sei se amo do jeito
certo. Mas existe uma forma certa? No amor, cada um tem seu jeito. A gente
aceita se quiser. Decidi algumas coisas, não sei se são boas, acho que o futuro
vai dizer. A hora é agora, tenho que aproveitar todas essas mudanças internas
borbulhando. A gente não pode se anular e colocar o outro em primeiro lugar. Tem
gente que não sabe amar. E muitos outros não entendem a nossa forma de amar. Ao
invés de tentar explicar é melhor mudar tudo de vez.



Vamos rasgar os planos,
apagar os projetos de futuro, soltar os ombros, respirar fundo e começar do
zero. Sem esperar nada. Sem expectativas, sem historinha bonitinha, sem
diminutivos, sem intensidades, sem nada. Apenas com a coragem, um pouco de
egoísmo e algum individualismo para fazer companhia. Vou me esforçar,
prometo.


CLARISSA CORREA

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Coração é sentimento

Sabe quando a gente é criança e apronta muito!?! a mãe da gente pega uma 
cadeira e coloca a gente pra sentar na sua frente e começa a aquele sermão 
pra explicar como as coisas devem ser!

Pois então meu caro coração, senta aqui nesta cadeirinha na minha frente e 
vamos bater um papo!

Sei que a muito tempo tu andas de castigo por tudo que aprontou e antes que 
tu saia desse castigo vamos colocar os pingos nos 'is' para que as coisas 
sejam como tem que ser pra poupar a gente de sofrimento, neh!

Tu sabes bem, meu querido coração! que só existem uma pessoa que tu deve amar incondicionalmente e acima de tudo e essa pessoa sou eu! então por nada 
nesse mundo, por nenhuma outra pessoa, isso deverá mudar! eu deverei ser a 
tua prioridade sempre! quero que tu me lembre que me amas, todos dias, toda 
hora, todo minuto, cada segundo porque desse amor que tu sente por mim é que 
eu sobrevivo! Entenda bem o que quero dizer: somos eu e vc, temos que nos 
amar pra viver!!

Tenho certeza que todo esse tempo que você está ai de castigo, vendo tantos 
sentimentos passarem por ti, sem saber o que fazer com eles, uns te 
machucando, outros não significando nada, deve ter criado a maior confusão e 
por isso você aprontou tanto!

Passou a entender que todos os meninos que se aproximassem de mim 
deveriam ser expulsos da minha vida sem dó nem piedade! Certamente você 
devia estar muito confuso, ou a sua sonda de sentimental estava com o fuso 
horario invertida, pois justamente aqueles os quais você deveria ter expulso 
você criou um tipo de sentimento, na hora errada, no momento errado! fez até 
parecer que era amor! ve se pode!? você só podia mesmo estar completamente 
insano ou naqueles dias em que esqueceu de tomar seu antidepressivo! Para criar sonhos, esperanças e ilusões dentro de mim!


Foi ai que você acabou fazendo algumas maluquices, colocando os pés pelas 
mãos,  nossa sorte que eu sempre entrei em ação, te xingando e brigando com você! Te privando de sentir qualquer coisa, até o momento em que você voltasse a se comportar!
Mas isso passou, a gente aprendeu muito com tudo isso, e agora é a hora da 
gente se perdoar por tdo o que aconteceu!

Não é fácil eu sei! mas estamos ai, cheios de amor próprio, e prontos para começar a sentir coisas novas, permitir que as pessoas certas entrem e nos devolvam a sensação plena de gostar de alguém sem culpa, sem erros, sem confusões! 

Vamos lá, está na hora de amar! Amar tudo e a todos sem medo! Sentir, demonstrar, viver o melhor de tudo o que você tem, porque coração é sentimento, e eu sou você! ;)


Verdade seja dita. Eu não sou como você esperava. Eu não sou uma loira-barbie pra te acompanhar nas festas jet-setters que você freqüenta. Eu não tenho um par de peitos de 300ml de silicone em cada um. Não tenho uma bunda de 102cm de diâmetro como a da Juliana Paes. Eu sou muito mais do que você espera. Muito mais do que você agüentaria. E talvez até mais do que você merece. Porque eu sou fiel aos meus sentimentos. Vou estar com você quando eu realmente quiser estar. Vou te ligar quando eu quiser falar com você. Porque eu não passo vontade. E nem vou passar vontade de você. Não vou fazer joguinho. Eu me entrego mesmo. Assim. Na lata. Eu abro meu coração. Rasgo o verbo. Me dou em prosa. E se te disser que não te quero, meu olhar vai me desmentir na tua frente. Porque eu falo antes de pensar. Eu falo até sem sequer pensar. Eu penso falando. E se estou com você, aí, não penso duas vezes. Não penso em nada. Não quero mais nada. Então, não perca seu tempo comigo. Eu não sou um corpo que você achou na noite. Eu não sou uma boca que precisa ser beijada por outra qualquer. Eu não preciso do seu dinheiro. Muito menos do seu carro. Mas, talvez, eu precise dos seus braços fortes. Das suas mãos quentes. Do seu colo pra eu me deitar. Do seu conselho quando meu lado menina não souber o que fazer do meu futuro. Eu não vou te pedir nada. Não vou te cobrar aquilo que você não pode me dar. Mas uma coisa, eu exijo. Quando estiver comigo, seja todo você. Corpo e alma. Às vezes, mais alma. Às vezes, mais corpo. Mas, por favor, não me apareça pela metade. Não me venha com falsas promessas. Eu não me iludo com presentes caros. Não, eu não estou à venda. Eu não quero saber onde você mora. Desde que você saiba o caminho da minha casa. Eu não quero saber quanto você ganha. Quero saber se ganha o dia quando está comigo. Você não vai me ver mentir. Desista. Mentiria sobre a cor do meu cabelo. Sobre minha altura. Até sobre meus planos para o futuro. Mas não vou mentir sobre o que eu sinto. Nem sob tortura. Posso mentir sobre minha noite anterior. Sobre minha viagem inesquecível. Mas não agüentaria mentir sobre você por um segundo. Não na sua cara. Mentiria pras minhas amigas sobre a sua beleza. Diria que tem corpo de atleta e um quê de Don Juan (mesmo sabendo que elas iriam descobrir a farsa depois). Mas não me faça mentir e dizer que não te quero. Que eu não estou na sua. Não me obrigue a jogar. Não me obrigue a dizer “não” quando eu quiser dizer “sim”. Não me faça tirar você da minha vida porque meu coração ainda acelera quando você me liga. Insisto. Não perca seu tempo comigo. Porque eu não quero entrar no seu carro se não puder entrar na sua vida. Não me conte seu passado se eu não puder viver seu presente. Não faça planos comigo se não me incluir no seu futuro. Não me apresente seus amigos se, amanhã, vou virar só mais uma. Poupe-me do trabalho de adivinhar seus pensamentos. Diga que me quer apenas quando for verdade. Diga que está com saudade apenas se sentir minha falta do seu lado. Peça minha companhia quando não desejar só meu corpo. Ligue-me quando tiver algo pra dizer. Mas, por favor, me desligue quando não estiver mais afim de mim…


(Brena Braz)
Mas quer saber uma verdade profunda? O pior jogo pra mim é o emocional. Nunca
fui disso. Sabe aquela velha história
se-faz-de-difícil-deixa-o-telefone-tocar-4-vezes-antes-de-atender-não-dá-no-primeiro-encontro?
Nunca fiz. Sempre agi de acordo com ele: meu coração. Errado ou não, ele sempre
me cutuca. E se revolta quando tento fugir dele.


Quando eu era
adolescente e gostava de algum menino dizia na maior cara dura. Mandava um
bilhete, algo assim. Sempre fui da Turma do Bilhete. Oi, acho que tô apaixonada.
Oi, gosto de você. Tudo bem, não era assim, era bem mais elaborado, eu escrevia
muito, desde pequena tenho esse dom (é dom?). Nem sempre ganhava um sim, mas eu
tentava. Melhor um não que um se. Melhor um não que um talvez. Melhor um não que
um peso na consciência. Eu falava, me sentia livre, corajosa, pelada. Sempre fui
de tirar a roupa para os sentimentos. É claro que por isso já me quebrei muito,
chorei muito, sofri muito, morri muito. Morri pra nascer de novo. Mais forte,
mais experiente.



Nunca me arrependi
por ter dito o que sentia. Não existe hora certa, momento exato. O amor nunca
tem hora. Minhas amigas diziam não-fala-nada. Nunca ouvi. Falava, falava. E
quando não sabia falar escrevia. E escrevia bonito. Acho que todas as coisas que
a gente faz de verdade são bonitas. Uma vez, com vinte e poucos anos, era
enlouquecida por um cara. Ele me tratava super mal (por que as mulheres insistem
nesses bolhas?) e eu ficava na volta dele mesmo assim. Ele aparecia quando
queria, eu aceitava aquilo que ele me dava (e vivia infeliz). Minha autoestima
tinha desmaiado, por isso passei um tempo meio fora do ar, achando que aquilo ia
me fazer feliz, que ele me pertencia, que era destino e todas essas babaquices
que a gente fica pensando, meio que pra justificar todas as bostas que esses
bolhas fazem com a gente - e que a gente deixa, por ser pateta demais e achar
que é porque "gostamos demais". Enfim, uma vez movimentei o mundo e mandei
pendurar uma faixa perto da casa dele. Ele me falou horrores, disse que eu era
maluca, que não podia ter feito isso, que tava expondo ele. Fiquei chocada. Fiz
seguindo o coração uma breguice romântica e ele odiou. E a partir daí eu pensei:
você não é para mim. A pessoa que é pra mim é aquela que entende todas as minhas
bobagens amorosas.



Minhas amigas
diziam ninguém pode saber que você está super a fim dele, faz jogo que homem
gosta. Quer uma outra verdade profunda? Homem não gosta, mulher não gosta,
ninguém gosta. Que mania besta essa das pessoas acharem que jogo é uma boa. Jogo
é armadilha. Você está sendo outra pessoa. E essa outra pessoa quer conquistar.
Digamos que você conquiste. O conquistado se encantou pela outra pessoa, não por
você. Ficou complexo? Se tenta ser outro, o outro vai se apaixonar pelo outro. E
você quer que se apaixone por você, certo? Então, não jogue. Joguinho de sedução
é uma coisa. Joguinho baixo é outra.



Seduza sendo você
mesmo, não tem nada mais sexy.
 
CLARISSA CORREA

terça-feira, 31 de maio de 2011

Remar. Re-amar. Amar

“Eu entro nesse barco, é só me pedir. Nem precisa de jeito certo, só dizer e eu vou (…). Eu abandono tudo, história, passado, cicatrizes. Mudo o visual, deixo o cabelo crescer, começo a comer direito, vou todo dia pra academia (…). Mas você tem que remar também. Eu desisto fácil, você sabe. E talvez essa viagem não dure mais do que alguns minutos, mas eu entro nesse barco, é só me pedir. Perco o medo de dirigir só pra atravessar o mundo pra te ver todo dia. Mas você tem que me prometer que vai remar junto comigo. Mesmo se esse barco estiver furado eu vou, basta me pedir. Mas a gente tem que afundar junto e descobrir que é possível nadar junto. Eu te ensino a nadar, juro! Mas você tem que me prometer que vai tentar, que vai se esforçar, que vai remar enquanto for preciso, enquanto tiver forças! Você tem que me prometer que essa viagem não vai ser a toa, que vale a pena. Que por você vale a pena. Que por nós vale a pena. Remar. Re-amar. Amar”.


Caio F.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Acho que o amor nos modifica. Relações não são fáceis, não. É uma luta diária. Mas o importante é você não querer sair dela jamais. O amor é bem mais que dizer eu te amo. Cada um ama do jeito que sabe, que aprende, que vai descobrindo. E essa é a grande beleza de tudo. 


Acredito que vai ser pra sempre. Se a gente não acredita, qual é a graça em amar? Eu sonho em ter uma vida com você. Não aquela vida de novela, mas uma vida de carne, osso e problemas. Porque todo mundo tem problemas, é claro que sim. O amor é totalmente imperfeito, vivemos aparando arestas e isso é comum, normal. Anormal é ser tudo sempre um grande mar de rosas cheirosas e sem espinhos.


A verdade é que eu morro de medo de não conseguir fazer tudo que quero. De não saber ser uma pessoa melhor, menos imperfeita. Morro de medo de perder você. Sabe, se a gente se perder eu nem sei. É que me descobri e ganhei uma parte de mim de volta quando te conheci. Não sei dizer o quanto te amo. O amor não cabe no meio das letras: ele ocupa um espaço inteirinho dentro do coração. E isso faz a minha vida muito mais feliz.    





CLARISSA CORREA 




@keazambuja - Sentimentos Jogados ao Vento
Confesso que não sei o que aconteceu essa noite, só sei que acordei mais calma, uma estranha paciência com as coisas! sem aquela ansia que as coisas acontecessem do dia pra noite ou de uma hora pra outra, como se tudo se resolvesse em um passe de mágica!

Acho que estou voltando ao meu eixo, me encontrando novamente depois de tanto tempo perdida em meio a confusão de sentimentos que a minha vida estava! parei para olhar novamente para mim, me amar, me cuidar com aquele carinho especial! pois só assim estarei preparada para ter alguem novamente na minha vida que possa me amar pelo que eu sou! Creio que seja ai o lugar de todas as respostas que eu procuro, dentro de mim e do meu coração, e a partir do momento em que eu estiver bem comigo e com as coisas que eu sinto as coisas começaram a fluir de maneira diferente... e graças as pessoas que entraram recentemente na minha vida, isso está acontecendo!

Não tenho palavras para explicar como isso tem sido importante, como essas pessoas conseguiram, de uma maneira tão simples me trazer de volta, resgatar a minha essencia e os meus valores!

Talvez para outras pessoas eu esteja mudando, talvez elas não se agradem dessa nova  pessoa, pois antes eu estava escondida atras da submissão e de fazer as coisas para agradar os outros, fazer tudo para que as coisas ficassem bem! Mas se isso realmente acontecer, é sinal que essas pessoas não são merecedoras de tudo o que eu trago dentro de mim e do carinho que sinto por elas!

Vejo as coisas mudando, me vejo renascer novamente e me contento com essa pessoa que está aqui de novo! 

sexta-feira, 27 de maio de 2011

” Você tem medo de se apaixonar. Medo de sofrer o que não está acostumada. Medo de se conhecer e esquecer outra vez. Medo de aguardar que alguma coisa mude de repente.Você tem medo de se apaixonar e não prever o que pode sumir, o que pode desaparecer. Medo de que ele seja um canalha, medo de que seja um poeta, medo de que seja amoroso, medo de que seja um pilantra, incerta do que realmente quer, talvez todos em um único homem, todos um pouco por dia. Medo do imprevisível que foi planejado. Medo de que ele inspire a violência da posse, a violência do egoísmo, que não queira repartir ele com mais ninguém, nem com seu passado. Medo de que não queira se repartir com mais ninguém, além dele. Medo de que ele seja melhor do que suas respostas, pior do que as suas dúvidas. Medo de não ser interessante o suficiente para prender sua atenção. Medo da independência dele, de sua algazarra, de sua facilidade em fazer amigas. Medo de que ele não precise de você.Medo de ser uma brincadeira dele quando fala sério ou que banque o sério quando faz uma brincadeira. Medo do cheiro nos cabelos. Medo de não ser convincente na cama, persuasiva no silêncio, carente no fôlego. Medo de que a alegria seja apreensão, de que o contentamento seja ansiedade. Medo de convidá-lo a entrar, medo de deixá-lo ir. Medo da vergonha que vem junto da sinceridade. Medo da perfeição que não interessa. Medo de estragar a felicidade por não merecê-la. Medo de passar pela felicidade sem reconhecê-la. Medo de interromper o que recém iniciou, de começar o que terminou. Medo de faltar as aulas e mentir como foram. Medo do aniversário sem ele por perto, dos bares e das baladas sem ele por perto, do convívio sem alguém para se mostrar. Medo de enlouquecer sozinha. Não há nada mais triste do que enlouquecer sozinha. Você tem medo de já estar apaixonada.”

   (Fabrício Carpinejar)

terça-feira, 24 de maio de 2011

Oi, eu posso conversar com você por um instante?Eu sei que pra você tudo parece perdido, não é mesmo? Como se seu mundo estivesse desmoronando, como se algo estivesse te sugando e te matando aos poucos. Eu já me senti assim. Já me senti deslocada, incompreendida. E a paz parece vir somente a noite, quando você finalmente deita a cabeça no travesseiro e fecha os olhos. Eu sei como você está, sei que os seus problemas estão se situando na sua mente e não te deixam nem pensar direito. Sei que existe muita tristeza ai, dentro de você. E também sei que tudo isso faz você pensar que não é boa o suficiente. Como se tudo fosse sempre dar errado não importa o que você fizer, como se seus sonhos fossem inalcançáveis e você não tivesse utilidade. Já te disseram que isso tudo está apenas na sua cabeça? Que a sua mente te engada e te faz imaginar coisas que não existem? Mas ela não sabe nem tem razão sobre nada. Todas essas dúvidas e incertezas que você tem não podem ser respondidas nem retiradas por ninguém, além de você mesma. Já parou pra pensar que a sua felicidade é você quem faz? Eu sei que é frustrante ouvir isso, mas vai ficar tudo bem. Ta doendo, não ta? Ta doendo muito, mas vai passar. Tudo passa. Pensa assim: Não há arco íris sem chuva, assim como não há felicidade sem um pouco de tristeza. Esse vazio, esse oco ai dentro… Eles somem. Você tem que colocar na sua cabeça que você é linda, que o seu sorriso só depende de você e que você precisa de mais auto-confiança. É difícil manter o pensamento positivo quando o seu coração parece estar em pedaços mas, confie em mim, você é forte. Se mantenha firme, pequena. Lute até o fim pela sua felicidade. Você não faz idéia do quanto é forte, do quanto é poderosa. Chore. Chore até não poder mais porque isso é o que vai te fazer bem agora. Alivie o peso que você carrega nas costas. E não é se cortando que o problema vai desaparecer. Você precisa correr atrás da solução de tudo isso. Dói. Eu sei que dói. Mas experimente sorrir, pois não há remédio melhor do que esse. Eu sei que as minhas palavras podem não fazer efeito pra você, mas pense nelas. Quero que saiba que quando você estiver se sentindo assim não deve desistir. Não deve ir embora nem fugir. Fique. Enfrente tudo de cabeça erguida. Meu anjo, quando tudo dentro de você parecer em pedaços você tem que lutar até o fim do mundo pra consertar. Essa confusão, esse medo… É assim mesmo, eles existem para fazer você perceber que em algum lugar lá fora, há uma faísca, um brilho escondido, algo pelo qual vale a pena lutar. Você precisa ter esperança, fé e paciência. Eu sei que bem ai dentro, em algum lugar, você acredita nisso. E é nesse lugar, mesmo que ele seja mínimo que você deve se agarrar. Tente e caia quantas vezes precisar, mas não desista. Você é especial, acredite nisso.